Em um culto religioso realizado no último domingo (28) no templo da Assembleia de Deus de Pernambuco (IEADPE), localizado na área central do Recife, o pastor Ailton Junior fez uma declaração condenando os doramas - séries populares produzidas por TVs asiáticas. O líder religioso, que vem recebendo inúmeras críticas nas redes sociais devido as suas falas, afirmou que as produções audiovisuais "defendem a androginia" e que nelas "não há definição de macho e de fêmea".

As declarações do pastor se tornaram públicas após terem sido divulgadas através do canal no YouTube da própria igreja, que transmitia o 22º Congresso de Adolescentes. No vídeo, a partir do momento 1:14:50, é possível observar diversos jovens, que assistiam o culto, surpresos com a abordagem do pastor sobre o tema discutido na pregação.

##RECOMENDA##

"Não façam mais o coração de dorama nos púlpitos da igreja para tirar fotos. Vocês sabem o que é dorama? Quem aqui sabe o que é dorama? [É a] Defesa da androginia! Não há definição de macho, nem fêmea. E todo mundo fazendo o sinal de dorama porque são ignorantes", disse o líder religioso.

[@#video#@]

Ailton ainda afirmou que quando as pessoas assistem doramas e outras séries sobre "morte, vampiragem e desgraças", elas estão se "acostumando com a forma como o diabo age".

O trecho em que pastor fala dos doramas foi cortado e compartilhado por várias páginas nas redes sociais, o que culminou em inúmeras críticas, inclusive de fiéis da igreja. A maioria dos internautas reprovaram a postura do líder religioso, demonstrando que ele desconhecia os doramas, já que a maioria dessas obras possui uma visão conservadora dos relacionamentos e com valores compartilhados pelas ideologias cristãs, como amor, fidelidade nas relações amorosas e baixo conteúdo erótico.