O corretor de planos de saúde Rodrigo Medina Lopes, de 45 anos, viralizou na internet na última semana ao gravar a reação do jovem Bruno Carneiro Lopes, de 11 anos, ao ler a decisão judicial que oficializou a adoção e a nova certidão de nascimento com o nome do pai adotivo. Bruno é filho da ex-mulher de Rodrigo, que morreu de câncer em 2013. Agora, o laço entre os dois, que vem desde o início da infância, está oficializado.

Foram quase dez anos de espera até que o cartório expedisse, sob ordem judicial, a certidão de adoção. "Isto me dá paz de saber que ele está registrado e tem meu sobrenome, entende? Que Bruno terá acesso aos benefícios que eu tenho em relação a seguro de vida, planos de saúde. É uma felicidade e uma garantia que ele estará super acolhido caso ocorra algo comigo. Eu trabalhei muito na vida e sei que ele terá os mesmos direitos que a irmã dele", disse Rodrigo ao Estadão.

##RECOMENDA##

Ele vive com Bruno em um apartamento na zona norte de Porto Alegre. Foi lá que o pai gravou o vídeo que registrou o momento de felicidade do garoto ao ler a decisão da Justiça. As imagens viralizaram nas redes sociais e comoveram muitos internautas.

"O significado de adoção para mim é o maior amor. É amar e assumir um filho que nasceu para mim, e não feito por mim. Isso que aconteceu comigo, acontece com as mulheres todos os dias, é considerado 'normal', digamos assim, para a sociedade. Precisamos normalizar que pai também pode criar o filho sozinho", reforçou Rodrigo.

Ele foi casado com Rejane Carneiro após se conheceram ainda adolescentes. Moravam no município de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre. Aos 18 anos, se casaram e decidiram morar juntos. Durante a união, tiveram uma filha chamada Luana.

Aos 30, eles se separaram e, posteriormente, Rejane acabou se envolvendo com outro rapaz e ficou grávida do segundo filho, Bruno. O homem não quis assumir a paternidade. Ao saber do caso, Rodrigo, que na época morava em São Paulo, começou a cuidar da criança, que tinha apenas dois anos.

"Tu não tens ideia do que eu ouvi de asneiras no início da adoção. Meus amigos me perguntavam: cara, tu és louco? Tu não tens ideia do que tu quer para tua vida? Ao menos te casa para essa criança ter uma mãe. Tu tens uma profissão que pode te levar para o mundo todo (na época trabalhava no ramo da hotelaria). É sério que tu vais parar a vida para criar uma criança de dois anos, um filho que nem é teu?", lembrou Rodrigo sobre a reação das pessoas que se intitulavam bons amigos.

Bruno nasceu em dezembro de 2010. Meses depois, em agosto de 2011, Rejane descobriu um câncer no útero, que havia se desenvolvido no mesmo período da gravidez e que, por isso, estava camuflado. Após a descoberta, ela começou a fazer sessões de quimioterapia e radioterapia, mas a doença seguiu avançando de forma rápida. Em 2013, Rejane faleceu.

Rodrigo contou um episódio que ficará marcado em sua vida. "O Bruno, até a mãe dele morrer, não falava praticamente nada. Ele teve todo um acompanhamento psicológico no leito paliativo. A psicóloga pedia que eu levasse ele até a cama da mãe para ver ela indo embora (falecer), assim ele, com o tempo, poderia compreender o conceito da morte. Numa dessas visitas ao quarto, vi Bruninho brincando com um carrinho em cima da mãe. Foi uma das imagens que mais me impactou naquela época", contou emocionado.

A mãe de Bruno sempre deixou claro aos parentes que era um desejo dela que o filho ficasse com Rodrigo e a irmã dele para eles nunca se afastarem.

Rodrigo Medina admite não entender a demora de quase uma década para receber a certidão de adoção. "Infelizmente não tenho esta resposta. Toda vez que eu entrava em contato com o Fórum, diziam sempre o mesmo: o processo está em andamento e precisa esperar o parecer da juíza. Nunca teve um motivo oficial. Talvez tenha demorado por eu ser homem e solteiro. E qual o problema?", indagou o pai adotivo.

As brigas não param! Alessandra Veiga deu uma entrevista para o programa A Tarde é Sua e acusou Cybelle Herminio de querer 50% da herança de Tom Veiga. Lembrando, após oito meses de casamento, o humorista estava se divorciando de Cybelle.

Os comentários de Alessandra não agradaram a viúva do intérprete de Louro José, que foi às redes fazer um grande desabafo e rebater todas as acusações da ex-mulher e mãe de uma das filhas do humorista. Além de falar sobre a reforma em um dos imóveis, Cybelle contou que não recebeu nenhum pedido de Alessandra.

##RECOMENDA##

Com tantas falas sobre a herança, a viúva de Tom Veiga não aguentou e chamou a ex-mulher de mentirosa, e a acusou em seus Stories de estar causando polêmica para lançar um livro sobre o eterno Louro José:

"Vou me posicionar a essa mentirada. Quer falar? Fala. Mas prova! Mentirosa desde o início", disparou.

Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (PL) e mãe de Jair Renan, afirmou ser vítima de chantagem do antigo funcionário da família, Marcelo Nogueira dos Santos.

Segundo mensagens divulgadas pela revista Veja, Nogueira declarou possuir provas do esquema de rachadinha investigado pelo Ministério Público do Rio e pretende torná-las públicas caso não receba o valor solicitado. As ameaças, declarou Ana Cristina à revista, têm como objetivo prejudicar o ex-marido: "Tentam me atingir, mas o verdadeiro alvo é o presidente".

##RECOMENDA##

A mãe de Jair Renan afirmou temer por sua vida, já que ele conhece os hábitos da família. "Estou com medo. Ele viveu nesta casa. Quem me garante que não pegou uma chave para poder entrar? Quem me garante que, se ele tentar me matar e o Renan entrar no meio, ele não mate o Renan também?", disse ela à Veja.

Em uma das mensagens, Nogueira pede a Ana o valor de R$ 200 mil para acabar com a disputa em torno da falta de pagamento de direitos trabalhistas pelo período em que prestou serviços na casa da advogada. Ana, entretanto, afirmou que tudo foi pago ao ex-funcionário. "Esse caso não é uma briguinha, é uma relação de amor e ódio. Antes de sair, ele já tinha avisado que ia botar a boca no trombone. Ele quer me matar e quer dinheiro. Disse para começar com R$ 200mil reais. Em outras conversas, falou em 1 milhão, 2 milhões", afirmou.

Durante os 14 anos em que trabalhou para a família, Marcelo Nogueira chegou a atuar como assessor do Flávio Bolsonaro (PL-RJ) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) entre 2003 e 2007 e como caseiro de Ana até 2021.

Em setembro de 2021, o ex-funcionário acusou a advogada de ser a comandante do esquema de rachadinha no gabinete de Flávio na Assembleia do Rio e de replicar o mecanismo no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Segundo ele, Ana ficava com pelo menos 80/% dos salários dos funcionários. A declaração foi feita ao UOL.

Em uma outra mensagem trocada entre Marcelo Nogueira e amigos, diz a revista, o ex-funcionário expõe a possibilidade de atentar contra a vida de Ana e de Jair Renan. "Estou seguindo todos os passos dela. Estou me organizando para ir atrás e acabar com a vida dela, nem que seja a última coisa que faço da vida. Vou morrer, mas entro para a história", escreveu ele.

Para Ana, o ex-funcionário "não tem mais nada a perder na vida" e seria capaz de cometer uma violência contra ela e o filho. "Pelo que eu conheço ele é capaz de me matar, sim, matar o Renan e depois se suicidar. Ele até já deu um tiro proposital no pé do filho depois de uma briga".

À Veja, Nogueira afirmou que tem em mãos as provas, mas que está aguardando o "momento estratégico" para apresen­tá-las. Segundo o ex-caseiro, o seu objetivo é inviabilizar a campanha eleitoral de Ana em 2022. A advogada pretende concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. Nogueira também negou que esteja chantageando a ex-patroa. "Se eu tivesse que chantagear, não seria por essa mixaria. Meus áudios, meus vídeos certamente valem muita grana. Mas eu não sou um desses", disse. Sobre o valor de R$ 200mil solicitados, o ex-funcionário explicou que se refere a direitos trabalhistas que não foram pagos.

Um homem foi preso por tentativa de feminicídio, neste domingo, no bairro da Torre, Zona Norte do Recife. Segundo a polícia, ele tentou matar a ex-esposa com onze facadas em Olinda, na Região Metropolitana.

Ele responde por tentativa de homicídio doloso com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A Polícia Civil informou que o crime aconteceu no dia 8 de abril deste ano, por volta das 22h.

##RECOMENDA##

A mulher foi surpreendida quando saía do trabalho e fechava o estabelecimento. O ex-marido a abordou portando uma faca tipo "peixeira". A vítima foi ferida em várias partes do corpo.

O suspeito vai ser investigado pela 9ª Delegacia de Polícia de Homicídios. A Polícia Civil não deu mais informações do caso, mas uma coletiva de imprensa na próxima segunda-feira (2) detalhará a ocorrência.

A advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (PL), teria omitido em sua declaração do patrimônio enviada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma residência avaliada em mais de R$ 7 milhões (cerca de 13 milhões de coroas norueguesas) em seu nome na Noruega, país onde mora seu atual marido, o carpinteiro Jan Raymond Hansen. A informação é da revista Crusoé desta sexta-feira (11). 

Ana também é apontada como responsável por operar um esquema de desvio de salários de funcionários do gabinete do vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Ela disputou uma vaga à Câmara Federal em 2018, mas não foi eleita.  

##RECOMENDA##

Em sua declaração de patrimônio enviada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2018, quando disputou a vaga no Congresso Nacional, a propriedade no exterior não constava entre seus bens. O TSE exige que os candidatos apresentem sua relação atual de bens contendo o valor declarado à Receita Federal. 

De acordo com a revista Crusoé, o imóvel - do qual Ana Cristina seria dona da metade - está registrado junto à Autoridade Norueguesa de Mapeamento (Kartverket, em norueguês) e fica localizado na cidade de Halden, no interior do país escandinavo. 

Como o imóvel não consta da lista encaminhada ao tribunal eleitoral, existe a suspeita de que ela também tenha escondido o patrimônio ao declarar o imposto de renda, o que configura crime de sonegação fiscal. Segundo o documento obtido pela Crusoé, a ex-mulher de Bolsonaro comprou a casa em fevereiro de 2013.  

Atualmente, ela mora numa mansão localizada no Lago Sul, região nobre de Brasília, junto com o filho Jair Renan Bolsonaro, o “04”. O imóvel está avaliado em cerca de R$ 3 milhões. 

Por não aceitar o fim do relacionamento, um homem identificado como Samuel Santos Souza, 24 anos, ameaçou a ex-mulher e o atual namorado dela. Para não cometer o crime por medo do arrependimento, ele próprio chamou a polícia e pediu para ser preso.

O fato aconteceu em Vitória, no Espírito Santo. Na manhã desta terça-feira (22), antes de ser encaminhado para o presídio, ele revelou que - mesmo já tendo traído a ex três vezes, não aceitou que ela estivesse se envolvendo com uma outra pessoa após a separação.

##RECOMENDA##

"Mandei várias mensagens dizendo pra ela que se ela não voltasse comigo ia matar ela e o cara que estava com ela. Essa é a realidade. Então, para isso não acontecer eu abri um BO [Boletim de ocorrência] contra mim mesmo para proteger a vida dela e a da minha filha também. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura pra mim", disse Samuel à TV Gazeta.

Ele revelou ainda ter consciência de que estava errado e que nunca bateu em mulher. "A decisão que eu ia tomar ia ser errada, por eu ter esse sentimento de posse que eu me preocupei. Uns pensamentos pra poder matar ela também. Eu sei que vou estragar minha vida. Nunca passei por uma situação como essa. Estou aliviado porque aqui consigo deixar ela segura", revelou.

A ex-mulher, que não quis ser identificada, contou que Samuel nunca a agrediu, mas confirmou que vinha sendo ameaçada por ele. A última vez teria sido na segunda-feira (21), quando foi levar a filha de três anos que tem com a vítima.

"Ele veio trazer ela porque queria me ver. Ele foi para o ponto, voltou e pediu água. Falou que queria conversar e se eu não deixasse ele entrar ia pular o muro da minha casa. Passou uma viatura na hora, ele disse que era pra eu chamar a viatura porque ia precisar. Ele parou a viatura e conversou com os policiais", detalha.

Os dois foram levados para a delegacia, onde Samuel foi autuado em flagrante pelo crime de ameaça. Foi arbitrada uma fiança, mas ele não pagou e, por isso, seguiu para o Centro de Triagem de Vitória.

Em meio ao plantão judiciário, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, suspendeu a ação penal contra a empresária Maria Cristina Boner na Operação Caixa de Pandora, que investigou o esquema conhecido como "Mensalão do DEM", no governo do Distrito Federal. Ex-mulher do advogado do clã Bolsonaro, Frederick Wassef, ela é acusada de corrupção e lavagem de dinheiro. A decisão abre caminho para que o processo seja trancado antes do julgamento.

O ministro levou em consideração a absolvição de Cristina em uma ação de improbidade referente aos mesmos fatos pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Segundo ele, a decisão da corte evidencia a necessidade. E, afirmou que há "riscos reais de restrição da liberdade e/ou patrimônio da paciente na ação penal, sendo certo que, com o arquivamento da ação civil, a situação processual sofreu significativa alteração, mostrando-se injusta e ilegítima a persecução penal".

##RECOMENDA##

A decisão acolheu um pedido da defesa da empresária, que a investigação mostra "de forma incontestável e inequívoca que Cristina Boner e sua empresa no passado, jamais participaram do referido esquema delatado". Os advogados ainda afirmaram que Barbosa "simplesmente mentiu do início ao fim em absolutamente tudo o que disse" sobre a empresária.

O caso caiu com o ministro Humberto Martins em razão do recesso do Judiciário, em que o presidente do STJ decide demandas urgentes na ausência do relator natural da causa. Caso o entendimento seja confirmado no mérito, poderá levar ao trancamento da ação penal antes de seu julgamento.

Após o fim do período, o caso passará novamente para apreciação do ministro Reynaldo Soares da Fonseca, responsável por julgar o pedido da defesa. O ministro julga casos relacionados a Cristina por prevenção por ter sido relator de um outro habeas corpus, em que a defesa da empresária pedia o desbloqueio de R$ 9 milhões da empresária bloqueados na Suíça em meio às investigações da Caixa de Pandora.

Ação penal

Cristina é acusada de pagar propina de R$ 1 milhão, na forma de doações eleitorais, ao ex-governador José Roberto Arruda (DEM) em troca de contratos sem licitação na área de informática. À época, a investigação ficou marcada pela delação do ex-secretário Durval Barbosa, que filmou a entrega de propinas a políticos. Cristina também foi gravada em uma conversa em que o secretário prometia a ela um contrato com o governo. "Cê tá feliz?", perguntou o delator. Tô muito!", disse Cristina. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios pede a condenação da empresária a 15 anos de prisão.

Absolvição

Na esfera civil, Cristina havia sido condenada ao lado de Durval e do ex-presidente da estatal Codeplan, ligada ao governo do DF. Em junho do ano passado, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal decidiu excluir somente a empresária da condenação, em um julgamento que durou menos de cinco minutos na 2ª Turma Cível. Segundo a relatora, Sandra Reves, havia indícios de que os agentes públicos agiram para favorecer Cristina.

No entanto, segundo a desembargadora, não ficou comprovado pelo vídeo que Cristina e sua empresa "incutiram os agentes públicos ao estado psíquico de forjarem situação de emergência para promoverem o direcionamento da contratação emergencial". "Do mesmo modo, não se consubstancia que as particulares auferiram algum benefício, haja vista que, repise-se, não houve qualquer pagamento à sociedade empresária em razão da nulidade do contrato declarada pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal e reconhecida pela Codeplan", anotou.

Parece que a ex-mulher de Dr. Dre está prestes a ganhar uma bela quantia de dinheiro!

Segundo o TMZ, o rapper e sua ex-esposa, Nicole Young, finalizaram o processo de divórcio e entraram em um acordo a respeito das finanças dos dois. Ficou decidido que Dre irá pagar o valor de 100 milhões de dólares para Nicole, o equivalente a 569 milhões de reais!

##RECOMENDA##

Apesar do alto valor, uma fonte chegou a dizer que ele está feliz que a ex terá direito a apenas uma parcela de seu patrimônio, estimado em 820 milhões de dólares - o que equivale a mais de quatro bilhões de reais!

Além disso, o acordo permite que Dre fique com as sete propriedades que eles possuem, e também com os direitos de suas gravações, marcas registradas, direitos relacionados a parcerias e ações da Apple, que incluem lucros de venda da marca Beats By Dre.

Quanto aos veículos, o rapper ficará com seis e ela com quatro. Nicole também ficará com jóias, dinheiro e contas bancárias que ela manteve durante o casamento.

Johnny Deep acabou tendo que deixar a franquia dos filmes de Animais Fantásticos depois de perde um processo contra o The Sun que o chamava de espancador de mulheres. O caso, certamente, não foi visto com bons olhos nos bastidores e nos estúdios da produção por isso que veio a demissão do ator.

Depois de alguns dias dessa revelação que deixou os fãs de queixo caído, os mesmos decidiram começar uma petição online para que Amber Heard, que é a ex-esposa de Depp, fosse demitida do filme Aquaman 2, na qual ela será uma super protagonista e dará vida a princesa Mera, ao lado de Jason Momoa.

##RECOMENDA##

Os fãs começaram a alegar que existe um áudio em que a atriz admite ter batido em Johnny Depp, só que neste mesmo áudio o ator também admite ter batido em sua ex. O argumento dos seguidores de Depp é que se ele foi demitido por ter batido em Amber, ela também deveria perder o emprego pela mesma razão para ser algo justo para ambos.

E as polêmicas não acabam por aí! Segundo o Deadline, o estúdio que produz Animais Fantásticos, filme no qual Depp teve que pedir para se retirar, já está em negociações finais com um novo ator.

Isso mesmo, nome tão falado nos bastidores é o de Mads Mikkelsen, conhecido por estar em Hannibal, para preencher a vaga no papel de Grindelwald. De acordo com o próprio site, Mads ainda não assinou o contrato, mas que ele confirmou que existe interesse de ambas as partes em finalizar um acordo.

E novamente os fãs apareceram, mas não só os de Depp e sim da franquia, pedindo para que Colin Farrel voltasse para o papel, mas infelizmente o ator não poderá seguir com esse retorno porque está interpretando Oswald Pinguim Cobblepot em The Batman.

A seguir, relembre os papeis caricatos de Johnny Depp!

A 2ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo negou recurso e manteve, em julgamento no último dia 21, a condenação imposta por um júri popular a um homem que atirou ácido no rosto da ex-companheira grávida em Guarulhos, na região metropolitana paulista. Pela tentativa de homicídio qualificada por motivo torpe, com emprego de meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e contra a mulher, por razões da condição de sexo feminino, a pena foi fixada em 20 anos de reclusão, em regime inicial fechado.

Segundo informações do processo, no dia do crime, 8 de outubro de 2016, o homem queria impedir a ex-companheira de ir a uma festa. Após discutirem, ele foi em busca de um balde com ácido no lava-jato em que trabalhava. A substância era utilizada para tirar ferrugem de rodas de veículos. Quando retornou, arremessou o ácido no rosto da mulher, que estava ao lado do pai na calçada esperando a polícia - isso porque o homem já havia feito ameaças antes de deixar a casa dela.

##RECOMENDA##

A mulher precisou ficar internada por dois meses, período em que passou por nove procedimentos cirúrgicos. Ela teve quase 18% do seu corpo queimado, sofreu corrosões em múltiplas regiões, queimaduras de segundo grau profundas no rosto, dorso, tórax e em membros superiores, perdeu parte do couro cabeludo e a visão em um olho.

De acordo com o desembargador Luiz Fernando Vaggione, relator da apelação, ficou claro que o réu sabia tratar-se de produto altamente tóxico e com intenso potencial destrutivo em contato com a pele. E, aproximando-se de maneira ardilosa da ofendida, jogou grande quantidade (conteúdo em um balde) contra seu rosto.

O magistrado afirmou que a decisão dos jurados se coaduna com a versão acusatória existente nos autos, na qual a intenção homicida resultou amparada, em especial, pelos relatos da vítima, de seu genitor, que presenciou o ocorrido, do Delegado de Polícia, que conversou com a ofendida logo após os fatos, bem como em razão do restante da prova oral colhida. Os desembargadores Francisco Orlando e Alex Zilenovski acompanharam o voto do relator.

Ex-mulher do atual presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, comprou 14 imóveis, parte deles com dinheiro vivo, durante o período do casamento. Os dois se uniram em 1990, quando ele era deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro e ela uma assessora parlamentar do deputado federal baiano Jonival Lucas, sem nenhum bem. As informações foram levantadas pela revista Época.

O casamento mudou não apenas o padrão de vida da assessora, mas suas atividades. De acordo com a Época, que teve acesso a quase 40 escrituras de compra e venda e 20 registros em cartórios no Rio de Janeiro e em Brasília, Ana Cristina se transformou em uma “ávida negociadora imobiliária”. Até o fim da união com Bolsonaro, em 2008, Ana Cristina adquiriu, em apartamentos, casas e terrenos, o equivalente a R$ 3 milhões na data da separação, o que agora corresponde, considerando-se a inflação, a R$ 5,3 milhões.

##RECOMENDA##

Quando se casou com Ana Cristina, Bolsonaro só tinha dois apartamentos no Rio de Janeiro e um terreno- onde, posteriormente, construiu uma casa- na Vila de Mambucaba, em Angra dos Reis, tudo adquirido entre 1996 e 1997. 

Elton John está sendo processado pela ex-esposa, a engenheira de som alemã Renate Blauel, 32 anos após o divórcio do casal. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a causa do processo não foi revelada, porém, acredita-se que a ação esteja relacionada à privacidade de Blauel e à exposição de sua imagem por parte do músico.

O relacionamento dos dois durou cerca de cinco anos, de 1983 a 1988, e chegou a ser retratado brevemente na cinebiografia Rocketman, lançada em 2019. O jornal afirmou ter entrado em contato com os advogados de Blauel, que declararam que têm a intenção de resolver a questão de forma amigável. Já os assessores pessoais de Elton John não responderam aos questionamentos sobre o processo.

##RECOMENDA##

Hoje casado com o produtor de cinema David Furnish, responsável pela produção de Rocketman e pai dos dois filhos do músico, Elton John já falou mais de uma vez em público sobre seu casamento com Blauel. Ele disse sentir muita culpa e arrependimento pelas dores causadas por ele à ex-esposa.

Na autobiografia Me, também lançada em 2019, o músico diz ter tido pouquíssimo contato com a ex após a separação dos dois. Ele relata já tê-la convidado mais de uma vez para conhecer seus filhos e fazer parte da vida dele de alguma forma.

- Ela não quer e eu não insisti. Preciso respeitar os sentimentos dela.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) determinou que um homem deve contratar um plano de saúde para que a sua ex-mulher possa fazer o tratamento de câncer de mama. O desembargador Odemilson Roberto Castro anotou em seu voto que o ex-marido deverá contratar o serviço sob pena de multa diária. 

"Embora o recorrido sustente que não tem condições de arcar com o valor, ao argumento de que está desempregado, (…) o recorrido expôs que é motorista, o que demonstra que possui ocupação capaz de lhe conferir renda", declarou Castro.

##RECOMENDA##

O homem teve um prazo de cinco dias para reativar o plano de saúde empresarial ao qual tinha direito e pelo qual a sua ex-mulher iniciou o tratamento contra o câncer. A decisão foi unânime da 3ª Câmara Cível do TJ-MS. A mulher, que deve passar por uma mastectomia e reconstrução da mama, disse que não tinha tempo a perder.

Segundo o Estado de Minas, a mulher afirma que foi pressionada pelo ex-marido para realizar o tratamento com urgência porque ele iria pedir demissão. Na Justiça, o homem confirmou que teve que pedir demissão e, por isso, não teria como pagar o plano de saúde. 

A mulher rebate e aponta que a empresa administradora do plano de saúde conseguiu o deferimento do pedido de reativação do plano, com opção para o plano de demitidos, aposentados e inativos. A mulher diz que não poderia passar por um novo período de carência. 

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) quer ouvir o depoimento de uma das ex-mulheres de Jair Bolsonaro em investigação que apura suposto esquema de rachadinha e de uso de funcionários fantasmas na Câmara Municipal do Rio. Ana Cristina Valle foi chefe de gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (PSC), o filho "zero dois" do presidente, entre 2001 e 2008. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

O MP-RJ também investiga esquema semelhante na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) envolvendo o então deputado e atual senador Flavio Bolsonaro (sem partido). A promotoria elaborou um relatório de 111 páginas que explica, detalhadamente, os pontos de investigação contra o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz e Flavio.

##RECOMENDA##

No relatório, o Ministério Público aponta que Ana Cristina Valle teve parentes nomeados para cargos de gabinete da família Bolsonaro quando ela viveu em união estável com o atual presidente, entre 1998 e 2008. O MP-RJ quer esclarecer como era desempenhado o trabalho deles na Assembleia, apesar de viverem em Resende, na região sul fluminense, a mais de 270 km da capital.

O jornal O Estado de S. Paulo está tentando contato com o advogado Magnum Roberto Cardoso, que representa Ana Cristina Valle, mas até o momento não obteve o retorno.

Os ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal negaram pedido de Habeas Corpus (HC 160229) no qual o promotor de justiça João Luiz Trochmann, condenado por atirar no rosto de sua ex-mulher, pedia a redução da pena-base e do regime prisional a que foi condenado pela prática do crime de lesão corporal gravíssima. Em sessão na tarde desta terça-feira, 21, por unanimidade dos votos, os ministros mantiveram a aplicação da pena definitiva de cinco anos de reclusão em regime semiaberto. As informações estão no site do Supremo.

O Ministério Público ofereceu denúncia contra o promotor por crime de lesão corporal gravíssima, ocorrida em 2002. Depois, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo condenou o promotor sem a atenuante prevista quando o autor do crime procura reparar o dano - artigo 65, inciso III, do Código Penal -, uma vez que, após o disparo, o promotor levou a ex-mulher a um hospital.

##RECOMENDA##

Defesa

No Supremo, a defesa questionou decisão do Superior Tribunal de Justiça que, ao negar provimento a recurso especial, manteve a pena definitiva de cinco anos de reclusão em regime semiaberto. Os advogados pediam, no HC 160229, "o redimensionamento da pena, a fim de que fosse afastada a agravante por motivo torpe e reconhecida a presença da atenuante". Sustentam que o promotor "está preso há oito meses e que os autos demonstram o sofrimento que ele sentia com a separação, motivo que o levou a entrar em um processo de deterioração físico-mental".

Indeferimento

O relator do habeas, ministro Marco Aurélio, votou pelo indeferimento do pedido. Segundo ele, o Tribunal de Justiça "valorou negativamente a personalidade inconstante e agressiva do condenado, a conduta social, tendo em vista a condição de promotor de justiça, bem como as consequências do crime, em razão das lesões físicas e psicológicas sofridas pela vítima".

O ministro observou que o TJ paulista, ao desconsiderar a atenuante, destacou que não foi espontânea a condução da vítima pelo ex-marido.

A Corte estadual ressaltou haver prova de que, na ocasião, o promotor passou sem parar por bloqueio policial, além de fazer mencionar conclusão da própria vítima no sentido de ter que o ex-marido se dirigiu ao pronto-socorro em virtude de perseguição por policiais, "visando disfarçar a autoria do crime".

Em seu voto, o relator considerou "improcedente o pretendido afastamento da agravante referente ao motivo torpe, pois, conforme consta na condenação, o delito ocorreu em razão de a vítima ter manifestado o interesse em terminar o casamento".

"O argumento de ter o Ministério Público, em alegações finais, deixado de postular a observância da agravante não impede que o julgador o faça", afirmou Marco Aurélio, ao acrescentar que a agravante é causa legal e genérica de aumento da pena, conforme dispõe o artigo 385 do Código de Processo Penal.

Em relação à impropriedade da agravante relativa ao emprego de recurso a impossibilitar a defesa da vítima, o relator observou que o Tribunal estadual esclareceu que o promotor, antes de praticar o delito, fechou as portas e janelas da casa, prendeu o cachorro e se propôs a fazer café.

Segundo o ministro, o TJ de São Paulo "aduziu que os fatos antecedentes à agressão, consubstanciada em disparo de arma de fogo, ocorrido após conversa por, ao menos, 25 minutos e luta corporal, não inviabilizam o reconhecimento da agravante".

Os ministros Luís Roberto Barroso e Rosa Weber acompanharam o relator, e consideraram "moderada a dosimetria da pena aplicada". No mesmo sentido, votou o ministro Luiz Fux, ao salientar que, segundo peritos, "tiros desferidos no rosto em situações passionais são realizados com a intenção de destruir a imagem da própria vítima".

A força-tarefa da Operação Lava Jato requereu nesta quinta-feira (28), à juíza federal Gabriela Hardt que intime a ex-mulher do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, a prestar "esclarecimentos sobre a abertura de conta bancária junto à Millenium BCP, em Portugal". Vieira de Souza está preso preventivamente desde 19 de fevereiro, suspeito de lavagem de dinheiro e de operar propinas para políticos tucanos.

A Lava Jato quer que Ruth Arana indique "a origem e a causa econômica dos valores aportados na instituição financeira". Os procuradores pediram ainda que a ex-mulher de Vieira de Souza explique "se há qualquer relação dos montantes com as atividades e/ou recursos mantidos" pelo ex-diretor da Dersa.

##RECOMENDA##

A Procuradoria afirma que o ex-diretor da Dersa manteve R$ 131 milhões em quatro contas no banco Bordier & CIE, de Genebra, em nome da offshore panamenha Groupe Nantes SA, da qual o operador é beneficiário econômico e controlador. As contas foram abertas em 2007 e mantidas até 2017.

Na manifestação à Gabriela Hardt, o Ministério Público Federal relatou que, em e-mail de junho de 2018, Ruth Arana de Souza abre conta bancária em instituição financeira em Portugal. A mensagem foi trocada após as prisões de Vieira de Souza pela Lava Jato São Paulo, em abril.

"Chama a atenção o fato de que o investigado manteve contas no exterior, por longo tempo secretas, abastecidas com recursos ilícitos de empreiteiras investigadas no âmbito da Operação Lava Jato. Inclusive, parte substancial dos valores foi transferida para conta bancária nas Bahamas, ainda sem notícia de eventuais transferências posteriores", afirmam os procuradores.

"Nesse cenário, a abertura de nova conta bancária, mais uma vez no exterior, por pessoa com relação familiar e empresarial com o principal investigado, requer o aprofundamento das investigações."

Vieira de Souza foi condenado pela juíza Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Federal de São Paulo, nesta quinta-feira, 28, a 27 anos de prisão na Lava Jato/SP - sete anos e oito dias em regime fechado e 20 anos de detenção em regime semiaberto e aberto. O ex-diretor da Dersa é acusado pelos crimes de cartel e fraude à licitação.

O idoso Maurílio Carvalho da Gama, de 62 anos, matou a tiros a ex-mulher Neuza Alves de Souza Gama, 57, nessa terça-feira (25), em Bertioga, na Baixada Santista, localizada no litoral de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito tentou suicídio para evitar a prisão.

O assassinato ocorreu na casa do atual companheiro da vítima e, segundo a polícia, antes de encontrar ex-mulher na cozinha, Maurílio escalou um muro de aproximadamente três metros para invadir a residência.

##RECOMENDA##

Neuza foi atingida por disparos no pescoço. A enteada dela, de 11 anos, presenciou o crime e pediu socorro, mas o suspeito conseguiu fugir, enquanto a vítima foi encaminhada ao hospital. Ela, entretanto, não resistiu aos ferimentos.

Os policiais militares seguiram para o imóvel onde Maurílio morou com a ex-companheira, visando prendê-lo. No momento, ele tentou fugir, mas como não obteve sucesso, atirou contra a própria cabeça.

Na residência, foram encontradas munições e o revólver utilizado no homicídio. Com ferimentos graves, o suspeito foi levado ao Hospital Municipal de Bertioga, e segundo a prefeitura, permanecia em estado “gravíssimo” até a manhã desta quarta-feira (26).

Um homem foi preso nesta sexta-feira (7) após tentar matar a ex-mulher com um leite envenenado. O caso aconteceu em Iporá, na região oeste de Goiás. De acordo com a polícia, Eudes Rodrigues confessou o crime e afirmou que usou veneno de rato, conhecido como chumbinho, para preparar a bebida.

Segundo a polícia, a própria mulher chamou a corporação após desconfiar o leite. O homem teria pulado o muro da casa dela para entregar a bebida.  “Ela disse que ficou desconfiada, mas foi coar o leite para tomar. No entanto, ao passar o leite pelo coador viu uma substância estranha e por isso chamou a PM”, contou o subcomandante da região Tiago Messias em entrevista ao G1.

##RECOMENDA##

Após isso, a polícia foi até a casa de Eudes Rodrigues e prendeu o suspeito. Apesar de ter confessado o crime, ele não explicou os motivos. O homem vai responder por tentativa de homicídio.

 

Em entrevista concedida ao ao repórter Roberto Cabrini, no programa Conexão Repórter da última segunda-feira (12), o cantor Wesley Safadão admitiu ter se envolvido com sua atual esposa, Thyane Dantas, quando ainda estava casado com a sua ex, a digital influencer Mileide Mihaile.

“Eu tava na fase do fim do meu relacionamento. Eu não estava feliz, vivíamos uma crise. O erro foi não ter finalizado 100%, deixado tudo claro para começar um novo relacionamento”, disse Safadão.

##RECOMENDA##

Durante a entrevista, também foi tocado no tema dos ataques ao cantor através da internet. Uma mulher que não revela sua identidade aparece mostrando ao repórter um áudio que afirma ser de Mileide, promovendo o comportamento agressivo de seus fãs contra Safadão e Thyane. No entanto, de acordo com a influencer, é sua ex-sogra, Dona Bil, quem costuma fazer ameaças contra ela.

LeiaJá também

--> Vaza vídeo de discussão entre ex e atual de Wesley Safadão

--> Mileide Mihaile presta queixa contra mãe de Wesley Safadão

--> "Vontade do meu filho é desrespeitada", diz ex de Safadão

Indicado do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para integrar a equipe de transição de governo, o vice-presidente nacional do PSL, Julian Lemos (PB), já foi alvo da Lei Maria da Penha por três vezes, acusado de agredir a ex-mulher e a irmã. Lemos foi eleito deputado federal pela Paraíba e coordenou a campanha de Bolsonaro no Nordeste.

As queixas contra Lemos aconteceram em 2013 e 2016 e ele chegou a ser preso em flagrante em uma delas. Em 2013, quando o denunciou pela primeira vez, a ex-mulher dele, Ravena Coura, disse à polícia que foi agredida fisicamente e ameaçada por arma de fogo. Já na segunda vez, em 2016, ela disse que o ex-companheiro era "uma pessoa muito violenta" e a ameaçava.

##RECOMENDA##

Seis meses depois, Ravena recuou nas acusações e entregou um documento pedindo o arquivamento dos processos. A ex-mulher dele disse ter "se exaltado nas palavras e falado além do ocorrido" e os processos foram arquivados.

O terceiro, contudo, está em andamento. A irmã de Julian, Kamila Lemos disse que ao tentar apaziguar uma briga entre ele a ex-mulher foi agredida com "murros, empurrões" e tinha sido arrastada pelo pescoço. Laudo do Instituto de Medicina Legal constatou as escoriações na época.

O vice-presidente nacional do PSL nega todas as acusações.

Páginas