Reproducao/Facebook
(Reproducao/Facebook )

Política

Que se matem, diz deputado sobre juntar facções na prisão

A declaração do Sargento Fahur (PSL) foi uma resposta à futura presidente do Copen do Ceará, Ruth Leite. Ela avisou que haverá “matança” se juntar detentos que são rivais

por Taciana Carvalho | sex, 04/01/2019 - 16:01

Nesta semana, o secretário da recém-criada Administração Penitenciária do Ceará, Luís Mauro de Albuquerque, prometeu fim da divisão de presídios por facções no Estado com o argumento de que a lei não reconhece esses grupos. “O preso é ó preso, não tem diferenciação perante a lei”, disse. A futura presidente do Conselho Penitenciário do Ceará (Copen), Ruth Leite, rebateu a declaração. “Haverá matança se juntar detentos de facções diferentes no mesmo presídio”, avisou. 

Em meio a esse imbróglio, o deputado federal mais votado no Paraná, Sargento Fahur (PSD), reagiu ao comentário de Ruth Leite de forma bastante direta. “Pronto, agora o indivíduo entra para uma facção criminosa e o Estado ainda tem que respeitar a escolha dele, colocando ele junto com seus coleguinhas. Vá à merda, que se matem todas essas tranqueiras”, disparou por meio do Facebook. 

O parlamentar é conhecido por sua atuação e declarações polêmicas quando se trata de violência. Recentemente, ele chamou dois supostos ladrões agindo no município de Maringá, no Paraná, de “pragas”. “Essas pragas enchem o rabo de drogas e para sustentar o vício ficam infernizando pessoas de bem, que não podem sair para trabalhar ou para passear que essas merdas arrombam e levam tudo”, criticou. 

Aos 54 anos, o sargento vem sendo considerado uma “webcelebridade”. Eleito com mais de 310 mil votos, o parlamentar se aposentou depois de 35 anos como policial e ficou “famoso” na internet pelos seus vídeos com uma postura “linha dura”. 

Em outra publicação, o deputado eleito mostrou dois homens roubando televisores também em Maringá. “Essas desgraças não ouvem conselhos, se enfiam nas drogas e ficam roubando tudo que vêem pela frente”. 


PUBLICIDADE