Renato Costa/divulgação
Manifestação foi organizada pela União Nacional LGBT (Renato Costa/divulgação)

Brasil

Alunos de escola militar são advertidos por bandeira LGBT

O caso, que aconteceu em fevereiro, revoltou pais de alunos e culminou em um protesto ocorrido na última quinta-feira (3)

por Marília Parente | sab, 05/03/2022 - 16:50

Três alunos do oitavo ano da Escola Municipal Cívico Militar Presidente Castello Branco, de Joinville, em Santa Catarina, foram advertidos por estarem com bandeiras LGBT dentro da instituição de ensino. O caso, que aconteceu em fevereiro, revoltou pais de alunos e culminou em um protesto ocorrido na última quinta-feira (3), de frente para a instituição de ensino.

Uma aluna da instituição teria tomado a iniciativa de levar pequenas bandeiras com as cores da diversidade para distribuir entre um grupo de oito alunos. Um monitor da escola, então, confiscou o material.

De acordo com o jornal O Globo, a escola justificou a advertência tendo como base o Regimento Único das Escolas da Rede Municipal de Ensino de Joinville, aprovado pelo Conselho Municipal de Educação do município.

As bandeiras dos alunos, com idades entre 13 e 14 anos, foram consideradas "material de campanha", que só poderia ser distribuído com autorização prévia da escola. Por meio de nota, a prefeitura de Joinville declarou que preza pelos valores democráticos e está aberta ao diálogo.

Leia o posicionamento na íntegra:

“Em nota, a Prefeitura de Joinville disse que "na quinta-feira (24/2), a direção da Escola Municipal Cívico Militar Presidente Castello Branco foi informada pela equipe pedagógica de que três alunas estavam distribuindo materiais de campanha entre os alunos. Após tomar conhecimento dos fatos, a direção chamou as alunas e os responsáveis para conversar e as estudantes foram advertidas. Uma das alunas, por escolha pessoal, solicitou transferência para outra escola. A Secretaria de Educação de Joinville ressalta que preza pela democracia e ressalta que preza pela democracia e está aberta para o diálogo com todos os grupos da sociedade civil organizada".


PUBLICIDADE