Tomaz Silva/Agência Brasil
Autoteste Action! já é disponibilizado gratuitamente para outros casos virais, como a HIV (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Brasil

Técnicos da Anvisa veem fragilidade em pedido de autoteste

Agência discutirá na tarde desta quarta-feira (19) nota que pede a liberação do autoteste da Covid-19, assinada pelo Ministério da Saúde

por Vitória Silva | qua, 19/01/2022 - 10:08

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) discutirá às 15h desta quarta-feira (19) a implementação do autoteste de Covid-19 no país, após nota do Ministério da Saúde solicitando a comercialização do insumo. No entanto, alguns técnicos da reguladora avaliam o documento do Governo Federal como insuficiente, pois não apresenta plano de implementação ou política pública de acompanhamento, o que a Agência comunicou ser uma exigência. A informação é da jornalista Andréia Sadi, do G1. 

De acordo com o blog, que ouviu técnicos da Anvisa, a nota não detalha como será feita, por exemplo, a inserção de dados de notificação do resultado dos testes, tampouco explica como o ministério fará a distribuição pelo Sistema Único de Saúde. 

O documento trata unicamente sobre orientações de venda e de uso do autoteste nas farmácias. Os membros da Anvisa ouvidos pela reportagem acreditam que a medida é falha por ainda ser excludente com a população de baixa renda, que não é diretamente contemplada pela comercialização; e também porque a nota coloca técnicos de farmácia e farmacêuticos como os responsáveis pela orientação da população sobre os resultados. 

Em um trecho da nota sobre interpretação de resultados, por exemplo, o documento da Saúde diz que cabe ao farmacêutico ou ao farmacêutico responsável técnico "orientar às pessoas que adquirirem os testes conforme o resultado". Diante dessas impressões, trocadas em análises internas, o clima na Anvisa é de frustração com o documento e preocupação com o que chamam de "lacunas" do pedido. 

A Anvisa, como disse o diretor da agência à GloboNews na semana passada, não quer perder tempo para liberar o autoteste, mas aguarda uma política pública detalhada sobre o tema. 


PUBLICIDADE