TV e Famosos

Monica Sangalo, irmã de Ivete, diz que 'mágoa' matou irmão

Com longo desabafo, ela elogiou Jesus Sangalo e mencionou a tristeza como motivo de sua morte

por Paula Brasileiro | ter, 12/11/2019 - 09:47

Pouco menos de uma semana após a morte de Jesus Sangalo, irmão da cantora Ivete Sangalo, uma outra irmã dos dois usos suas redes sociais para fazer um desabafo. Monica Sangalo publicou um texto, em seu Instagram, afirmando que Jesus morreu de mágoa e que foi erroneamente julgado em vida. As palavras de Monica têm relação com uma briga entre o irmão e Ivete, que chegaram a desfazer sociedade e se afastar após desentendimentos nos negócios. 

Monica começa o desabafo falando sobre a 'causa' da morte de Jesus. "Há várias formas de morrer. Algumas suaves, outras nem tanto. Pode-se morrer de mágoa, que se disfarça em doenças de mil nomes. Por causa da tristeza a pessoa vai perdendo a vontade, vai cultivando a esperança vã de um dia, quem sabe, aquela dor passe, mas nunca passa", disse. 

Ela também defendeu o irmão e disse que ele foi julgado erroneamente, inclusive pela imprensa. "Jesus foi acusado de ser ladrão. Que lástima. Julgado e condenado pela crueldade parcial da imprensa, crucificado moralmente sem que ninguém saísse em sua defesa, nunca uma acusação foi tão vazia. Todo o seu trabalho foi passado por auditoria. Tudo foi posto em pratos limpos. Mas essa verdade jamais interessou, verdades não vendem jornais", afirmou. E finalizou garantindo que "aplaudirá" o parente "enquanto viver". 

As rusgas na família Sangalo começaram quando Ivete e Jesus cortaram as relações empresariais. Após desentendimentos, ele deixou a empresa da irmã e os dois acabaram se afastando até na vida pessoal. Após o velório do irmão, na última sexta (8), a cantora agradeceu aos fãs pelo apoio no momento de luto. "Obrigada a todos pelas orações, carinho e respeito que nos conforta nesse momento". 

Ver essa foto no Instagram

Há várias formas de morrer. Algumas suaves, outras nem tanto. Pode-se morrer de mágoa, que se disfarça em doenças de mil nomes. Por causa da tristeza a pessoa vai perdendo a vontade, vai cultivando a esperança vã de um dia, quem sabe, aquela dor passe, mas nunca passa. Há quem não aguente, há quem jamais esqueça. Pode-se morrer aos pouquinhos, primeiro o brilho nos olhos, depois o sorriso, depois o coração, o olhar desiste, a voz se afasta, o corpo cansa, a mágoa agora, senhora de tudo, vence uma guerra de favas contadas. Jesus foi acusado de ser ladrão. Que lástima. Julgado e condenado pela crueldade parcial da impressa, crucificado moralmente sem que ninguém saísse em sua defesa, nunca uma acusação foi tão vazia. Todo o seu trabalho foi passado por auditoria. Tudo foi posto em pratos limpos. Mas essa verdade jamais interessou, verdades não vendem jornais. Talvez houvesse um Barrabás em meio a essa história torpe,lamentável e covarde. Não sei. Tudo o que sei é que Jesus não tinha em seu DNA a semente da desonestidade, do mau-caratismo e da covardia. Era um homem nobre, íntegro, altruísta, do bem. Quem ergue um império como o que ele ergueu, com talento, alegria, lucidez, perseverança, criatividade, alguma brabeza, errando e acertando, aprendendo e ensinando, pelo puro prazer de realizar, não precisa tirar nada de ninguém. Basta apenas receber os aplausos merecidos. E eu o aplaudirei enquanto viver.

Uma publicação compartilhada por MataHari (@monicasangalo) em


PUBLICIDADE