Cidades

Barbárie: eleitora de Ciro é espancada em bar do Recife

Amigos se solidarizam com vítima que precisou passar cirurgia no braço

por Alexandre Cunha | qua, 10/10/2018 - 18:59

As denúncias de eleitores agredidos por simplesmente se mostrarem contrários ao candidato Jair Bolsonaro não param de surgir nos dias seguintes às eleições do último domingo (7). Nesta quarta-feira (10), no Recife, mais um caso foi tornado público nas redes sociais. A produtora Érica Colaço divulgou as imagens da amiga Pipa Guerra, agredida por dois homens e uma mulher, apoiadores do candidato do PSL, em um bar no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife, no dia da eleição. 

Colaço explicou que amiga estava no estabelecimento e os agressores começaram a "mexer com ela por conta dos bottoms e adesivos de Ciro e do #EleNao". Em determinado momento, um deles chegou a mostrar uma arma. Quando a vítima tirou o celular e começou a filmar a intimidação, foi agredida, teve o braço quebrado e precisou ser acolhida por garçons do bar. "Eles agrediram ela com a intenção de matar. Só não mataram porque os garçons colocaram ela na cozinha até eles irem embora", afirmou Colaço à reportagem do LeiaJá.

Segundo familiares da vítima, ela tentou ligar para a Polícia três vezes, mas não obteve atendimento. Pipa Guerra esperou seus agressores irem embora do bar para, só então, sair do local. Ela foi hospitalizada e precisou fazer uma cirurgia diante de uma fratura no braço, além de diversos outros hematomas. A vítima retornou para casa nesta quarta-feira. 

Nas redes sociais, usuários eleitores de Jair Bolsonaro, despidos de qualquer traço de humanidade, criticam a postagem de Érica Colaço e se resguardam a afirmar que o fato se trata de uma fake news. Familiares, amigos e milhares de outras pessoas se solidarizam com a situação da vítima, inclusive parlamentares eleitos no pleito do último domingo, como a deputada federal Jandhira Feghali (PCdoB).